quinta-feira, 25 de agosto de 2016

EM CAOS E EM CALMARIA



EM CAOS E EM CALMARIA

Me cubra só de olhares
Com doce perfume de afeto
Me olhe como quem abençoa
Em silêncio suave e secreto

Seremos tijolo forte
Instalado com bom cimento
Unido por lindas lembranças
Pleno de agradecimento

Na decisão da felicidade
Que se faz a cada dia
Bordaremos nossa história
Em caos e em calmaria

Mônica Raouf El Bayeh



sábado, 20 de agosto de 2016

NEM TUDO QUE PARECE É



NEM TUDO QUE PARECE É

Que sua vida seja de sonhos
Que sem sonho não se caminha
Mesmo no mais duro verão
Sempre haja uma sombrinha

Se aconteceu, tem saída
Quem não sabe andar, engatinha
Leia com atenção
O melhor vem na entrelinha

Nem tudo que parece é
Nem é bom só por virar modinha
Essa história de céu e inferno
Só vale em amarelinha

Se faz questão de farofa
Leve a sua farinha
Quem muito fala, tropeça
Enjoa e ainda aporrinha

Não conte em não ter problemas
Todo peixe tem  sua espinha
A ser mal acompanhada
Melhor feliz e sozinha

Mônica Raouf El Bayeh









sexta-feira, 19 de agosto de 2016

REZA FORTE



REZA FORTE

Uma água de coco fresquinha
Um banho de rio ou de mar
Uma rede estendida na sombra
Tudo isso também é rezar

Por menos regras, mais afetos
Menos crítica, mais compreensão
Menos pose, mais sonhos
Menos horas de tanta pressão

Feita de menos pedidos
Mais agradecimento
Por tudo, por qualquer coisa
Pela vida, pelo renascimento

Essa será nossa reza
Sem pecado, sob nossa direção
Ditada com suavidade
Pela voz só do coração

Mônica Raouf El Bayeh

sábado, 13 de agosto de 2016

SE VOCÊ ME CHAMAR PARA DANÇAR


SE VOCÊ ME CHAMAR PARA DANÇAR

Se você me chamar para dançar
Rapaz, eu nem especulo
Antes que você desista
Corro, te pego num pulo

Me penduro no seu pescoço
Danço o que você quiser
Sorridente, oferecida
Nem piso no seu pé

Se você me chamar de meu sonho
 E disser que sou seu amor
Eu divido com você a vida
E de semente viramos flor



Mônica Raouf El Bayeh


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O AMOR TUDO CURA



O AMOR TUDO CURA

Meu coração fraturado
Não cansa de travessura
Insiste em jogar aberto
Num gesto de rara bravura

Ah, coração atirado
Sem freios e sem censura
Então não percebe que sofro
Eu também tua desventura?

O amor renova os sonhos
Reinventa arquitetura
E rasga amarras de afetos
Para delas liberar ternura

Não se amordace, nem tema
Não azede sua doçura
Porque em você mora amor
E o amor tudo cura

Mônica Raouf El Bayeh

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

TE MANDO DAQUI UM BEIJO



TE MANDO DAQUI UM BEIJO

Te mando daqui um beijo
Sem assinatura e autoria
Permita que ele se mostre
Beijo tem caligrafia

Beijo é coisa de jeito
Tem seu próprio sabor e tempero
Te mando daqui quentinho
Cozido em meu destempero

É que uns estilhaços me alcançam
Quando a lembrança explode
Então te mandei um beijo
Pra ver se você me acode

Te mando daqui um beijo
Marinado em doce saudade
Beijo bom é escudo e espada
É força na adversidade

Me mande uns beijos, também
E abraços, cheiro e chamego
Para acalmar minha alma
E ao amor dar sossego
  
Mônica Raouf El Bayeh



terça-feira, 9 de agosto de 2016

VAMOS DANÇAR QUE A VIDA É BOA

VAMOS DANÇAR QUE A VIDA É BOA

Problema é igual formiga
Anda em bando e se amontoa
Varia de tipo e tamanho
Então você não enjoa

Chegam sempre fresquinhos
O que era suave, agora destoa
Resolva logo o danado
Para que não te corroa

Mostre quem é a dona
Do pedaço é você a patroa
E mais não rumine que tempo
A gente não perde a toa

Não deixe que te azede
Aquilo que te magoa
Afogue o que te dói
Em mar, lago, rio ou canoa

Lave a alma com esse zelo
Se transforme em melhor pessoa
Depois se faça bem linda
E vá dançar que a vida é boa

Mônica Raouf El Bayeh

domingo, 7 de agosto de 2016

PRECISO DE UM MAR



PRECISO DE UM MAR

Preciso de um mar verdinho
Ou azul. Não importa a cor
Um mar que me seja colo
E me acalente em horas de dor

Nele boiarei preguiçoso
Esquecido de aporrinhação
E, feliz, lhe contarei meus sonhos
E momentos de emoção

Um mar que me lave a alma
Onde eu me sinta bem-vindo
Que me receba em seus braços
E, às vezes, me chame de lindo

Mônica Raouf El Bayeh

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

SOU DIA QUE AMANHECE



SOU DIA QUE AMANHECE

Já não me trava o medo
Um pouco, depois eu sigo
Cisco umas novidades
E o risco de algum perigo

O cheiro de novo me chama
Me entrego sem resistência
O sabor da ousadia
Ao passo dá melhor potência

A cada passo, respiro
A cada suspiro, sonho
Com um eu mais pacífico e leve
Mais solto, menos enfadonho

Sou rumo novo e estrada
Sou dia que amanhece
Sou aranha que mesmo pequena
A sua teia retece

Mônica Raouf El Bayeh





terça-feira, 2 de agosto de 2016

O QUE EU TE ROUBARIA




O QUE EU TE ROUBARIA

Eu te roubaria um sorriso
Um furtivo e inesperado olhar
Eu te roubaria um suspiro
E uns sonhos para flutuar

Eu te roubaria uns dias
E noites, só mil e uma
Como a emoção que suave se instala
Suave como uma pluma

Eu te roubaria declarações
Das que dispensam discurso
E a certeza doce de se saber
Juntos no mesmo percurso

Afetos sentidos, sinceros
Desesperados de tanto querer
Te roubaria os melhores carinhos
Logo ao amanhecer


De tudo que eu roubaria
Não te roubaria o amor
Amor é vento que explode
Em seu delicioso esplendor

Mônica Raouf El Bayeh