sexta-feira, 30 de setembro de 2016

ERRAR É MAIS QUE HUMANO



ERRAR É MAIS QUE HUMANO

Tá difícil por aqui
Complicado, não te engano
Sigo assim meio tonta 
Sem rumo, sem rota, sem plano

Quando penso que vai dar certo
Vejo que entrei pelo cano
Tento disfarçar, não consigo
Pior que orelha de abano

Impressão é que tudo pesa
Carrego nas costas piano
Não me entrego, insisto
Errar é mais que humano

Me refaço em qualidade
Estou melhor a cada ano
Sou linha, rebolo assanhada
Em busca de novo pano 

     Mônica Raouf El Bayeh

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

SER EU MESMA ME AMPLIFICA



SER EU MESMA ME AMPLIFICA

Tenho alergia a ordens
Muita regra me pinica
Sou única e muitas em mim
Ser eu mesma me amplifica

Minha moda sou eu que faço
Não importa quem me critica
Faço o que quero, o que gosto
Não, não sou brega! Sou rica!

Sou rica de mil mudanças
Rica do que me adocica
Plena de ousadias
Livre do que danifica

Satisfeita e diferente
Escolho o que a mim se aplica
Sem medos, já aprendi
O que não mata me tonifica

Mônica Raouf El Bayeh




segunda-feira, 26 de setembro de 2016

PRIMAVERAREI



PRIMAVERAREI

Primaverarei
Porque preciso do cor
Transformarei em semente
Tudo que por dentro é dor

Primaverarei
Porque tenho saudades de flor
Minha alma deserta
Tem aspecto assustador

Primaverarei
Limparei mágoa e bolor
E florirei de novo
Em cores, afeto e sabor

             Mônica Raouf El Bayeh

domingo, 25 de setembro de 2016

PESSOA DE BEM PROCURA



PESSOA DE BEM PROCURA

Pessoa de bem procura
Colo com cafuné
Um chamego no fim de tarde
Com direito a massagem no pé

Palavras que me deixem mole
Músicas de flutuar
Balanço gostoso na rede
Tempo de namorar

Pessoa de bem procura
Assim sem muita esperança
Um amor doce e suculento
Coberto de temperança

Mônica Raouf El Bayeh

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

A VIDA É BREVE




A VIDA É BREVE

Em rápida lista mental
Estabeleço prioridade
Metas, sonhos, quem sabe
Serei melhor nessa idade

Cozinharei com presteza
Serei pura sabedoria
Eu, praticamente um Buda
Livre da velha agonia

Já sei que não sou perfeita
Me serve o melhor possível
Enquanto o corpo despenca
A alma se torna incrível

Mais velha, enrugadinha
Mais rodada, feliz e cascuda
Não faço planos, só vivo
Mais alegre, menos trombuda

Rasgo as novas metas
Deixo que a vida me  leve 
Aproveitarei cada dia
É preciso! A vida é breve

          Mônica Raouf El Bayeh

terça-feira, 20 de setembro de 2016

ME RECRIAREI EM AFETOS


ME RECRIAREI EM AFETOS

Tenho umas chaves guardadas
Já não me abrem mais porta
Guardo por medo ou pena
Porque guardo? Nem importa

Importa que tenho umas chaves
Mais que o bom senso comporta
Quem sabe um dia sirvam?
É a pergunta que entorta

Não servem! As portas mudaram
Como sangue passa na aorta
Limparei enfim meu chaveiro
Como mato se limpa na horta

Faxinarei velhas chaves
Afundar no velho entorta 
Me recriarei em afetos
Renovar me conforta

           Mônica Raouf El Bayeh

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

AMOR TUDO PESPONTA



AMOR TUDO PESPONTA

Que me salve a esperança
Quando tudo em volta desmonta
Porque eu tento ser bravo
Mas o breu lá fora amedronta 

Que me salve a fé
Quando o sol já nem mais desponta
E a dor lateja tão forte
Que do novelo não vejo a ponta

Que me salve alguma coragem
Mesmo não estando pronta
Para recomeçar cada dia
Mesmo moída e tonta 

Que me salve o bom amor
Amor cerze, dá laço e pesponta
Me recheie de tons e sabores
Amor nunca desaponta

        Mônica Raouf El Bayeh

terça-feira, 13 de setembro de 2016

TE DESEJO UMA CHUVA DE BENÇÃOS



TE DESEJO UMA CHUVA DE BENÇÃOS

Te desejo olhares largos
Sem visão pobre e estreita
Te desejo vida plena
Sem régua, sem medo ou receita

Desejo risadas bem altas
Felicidade confeita
Recomeçar toda vez
Que a vida estiver desfeita

Te desejo uma chuva de bençãos
O resto,  a gente ajeita
Afetos de algodão doce
E o dom de estar satisfeita

Um sorriso largo e bonito
Porque sorriso enfeita
E meu amor para sempre
Eu desejo. Você aceita?

Mônica Raouf El Bayeh

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

QUERIA UM BEIJINHO SEU



QUERIA UM BEIJINHO SEU

Queria um beijinho bom
Para matar o desejo
De te ter por perto agora
De te lembrar eu lacrimejo

Queria um beijinho bom
Daqueles que não se esquece
Do tipo que cresce intenso
Como véu que se tece

Queria um beijinho seu
Um beijinho, por caridade!
Se por outro motivo não for
Para amenizar a saudade

Mônica Raouf El Bayeh

sábado, 10 de setembro de 2016

SOU ROSA




SOU ROSA

Te deixarei as lembranças
Te decorarei o lar
Na função específica
De você admirar

Serei bem generosa
Te deixarei meu cheiro
Porque te gosto e te quero
Para ser meu companheiro

Quero teu mundo mais lindo
No que eu puder ajudar
Mas não abuse comigo
Sou rosa, sei espetar

Mônica Raouf El Bayeh